Fraudar um Teste de Paternidade parte II destaca algumas maneiras em que as pessoas realmente tentam enganar, e como lidar com estas situações no caso da suspeita sob alguém estar propenso a enganar um teste de paternidade. Este artigo explica algumas maneiras comuns que as pessoas tentam enganar um teste de paternidade e acabam sendo pegas.

Compreendendo a coleta da amostra e como os laboratórios detectam a fraude

A coleta de amostra de DNA é extremamente simples. No entanto, fraudadores podem deliberadamente tentar quebrar algumas das instruções obrigatórias da coleta eficaz. Podem, por exemplo, deliberadamente fumar ou comer antes do exame, ou tocar o cotonete com as pontas de seus dedos. Nesses casos, a amostra de DNA ficará degradada e os analistas de laboratório irão detectar isto, sendo provavelmente preciso interromper os testes e nova coleta de amostra ser solicitada, sndo necessário novo envio de cotonetes aos participantes.

Outra tática comum de contaminação de DNA está no uso do mesmo cotonete por mais de uma pessoa, assim a mãe e seu filho usam o mesmo na tentativa de alterar os resultados do teste. Nesses casos, os laboratórios irão detectar DNA’s múltiplos ou o que é referido como um perfil de DNA misturado. Claro, o laboratório não será capaz de prosseguir com o teste usando tais amostras.

Alguns tentam enviar uma amostra de DNA não-humana, sendo esta outra tentativa bastante desesperada de alterar os resultados e vai fazer com que o teste de paternidade não resulte em absolutamente nada, sendo necessária nova coleta com novos cotonetes e novas amostragens.

Fraudar um teste de paternidade também pode ser ocorrido por comutação de cotonetes. Em tal caso, por exemplo, a mãe poderia colocar seus cotonetes em envelopes do pai. Novamente os laboratórios irão detectar isto porque, como medidas de controle de qualidade, em todas as amostras são testadas o que conhecido como o gene da amelogenina. O gene da amelogenina é o que determina o que está presente em DNA de ambos, masculino e feminino. No entanto, o gene da amelogenina no cromossomo Y significa masculino e se exibidos em diferentes picos quando testado será cromossomo X e significará feminino.

E se o fraudador do teste de paternidade apresentar cotonetes de um amigo?

Se, por exemplo, o pai pediu ao seu melhor amigo do sexo masculino para apresentar cotonetes em seu lugar, os laboratórios não serão capazes de detectar isso. No entanto, o resultado do teste será definitivamente uma exclusão de paternidade. Além disso, em caso do trapaceiro ser descoberto, pode haver graves conseqüências legais.

Não é comum as pessoas trapacearem um teste de paternidade. No entanto, geralmente os laboratórios confiam na integridade moral das pessoas e na solução da verdade, de pessoas que realmente querem saber os resultados apresentados em um teste de paternidade independente de o resultado ser favorável ou não.